Gamificação: Uma Forma Divertida de Estabelecermos Nossas Metas

No verão de 2009, Jane McGonigal sofreu um acidente. Ela estava no seu escritório quando bateu sua cabeça contra a porta de um armário, e começou a ter convulsões. Infelizmente, seu cérebro não se curou rapidamente, sendo que após 30 dias do acidente, Jane ainda sentia fortes dores de cabeça, náusea e vertigem.

Ela não podia ler ou escrever por mais do que alguns minutos, e tinha dificuldades em se lembrar das coisas. Ela não conseguia se comunicar apropriadamente com seus amigos e familiares, e nas suas próprias palavras “É como se um punho de ferro estivesse pressionando meus pensamentos. Todo o meu cérebro se sente como se estivesse sendo pressurizado a vácuo. ”

Esses sintomas fizeram com que Jane se tornasse extremamente ansiosa e deprimida. Seu médico recomendou que evitasse tudo aquilo que disparava seus sintomas, de forma que conseguisse se curar mais rápido. Para ela, isso significava que não podia trabalhar, fazer exercício físico, jogar vídeo game, e diversas outras atividades. Ela não podia nem mesmo ingerir álcool ou cafeína.

Em pouco tempo, ela começou a ter pensamentos suicidas, os quais são extremamente comuns em traumas cranianos. Foi então que 34 dias após o acidente, Jane decidiu que “Ou eu me mato, ou eu transformo tudo isso em um jogo”.

 

Por que um jogo?

Um jogo?! Por que razão alguém transformaria sua vida em um jogo enquanto está tendo pensamentos suicidas? Não faz sentido, não é mesmo?

Bom, na cabeça de Jane isso fazia todo o sentido. Afinal de contas, ela já estudava a psicologia utilizada em jogos a mais de uma década. Na realidade, Jane havia sido a primeira pessoa no mundo a completar um Ph.D. estudando os talentos utilizados por jogadores enquanto estão entretidos, e como eles traduzem isso em sua vida real.

Jane sabia, por exemplo, que quando estamos jogando, enfrentamos grandes desafios com mais determinação, criatividade e otimismo. Nós também ficamos mais propensos a procurar a ajuda de outras pessoas. Era justamente isso que Jane buscava trazer para o seu próprio desafio real.

Ela resolveu então criar seu próprio jogo, e se colocou como a heroína de sua própria história. O jogo era simples: ela possui uma identidade secreta, recrutava alguns aliados, batalhava contra os vilões, e ativava seus “power-ups”. Mesmo com um jogo tão simples, em poucos dias ela começou a melhorar e os sintomas da depressão e ansiedade começaram a desaparecer.

Hoje, Jane continua pesquisando como diferentes jogos influenciam nossa capacidade de superar desafios e como eles alteram nossa perspectiva do mundo. Ela também possui duas palestras no TED Talks, onde explica as suas maiores descobertas, estando ambas com mais de 4 milhões de visualizações. Recentemente, Jane escreveu o livro “Super Better”, onde explica um passo a passo para você também “gamificar” a sua vida.

 

O que é Gamificação?

Bom, antes de prosseguirmos com o passo a passo recomendado no livro, eu quero fazer uma pausa para expandir um pouco mais o conceito de “Gamificação”.

Basicamente, podemos chamar de gamificação toda e qualquer aplicação dos elementos e princípios utilizados em jogos, mas em contextos da vida real. As principais aplicações desse tipo de tecnologia se encontram hoje na área de educação e marketing.

Por exemplo, hoje em dia, carros elétricos e híbridos utilizam algumas técnicas de gamificação para educar seus motoristas a gastarem menos combustível. A Nissan Leaf oferece a oportunidade dos motoristas se conectarem uns com os outros, e então compararem e competirem para ver quem está gastando menos combustível por quilometro rodado.

Outro exemplo pode ser visto na utilização de aparelhos como o Fitbit, ou o Apple Watch. Esses equipamentos nos incentivam a realizar atividade física, permitindo que criemos uma meta positiva, e nos conectando a uma comunidade de amigos que podem torcer pela nossa vitória e nos motivar a alcançar nosso objetivo.

Além disso, grandes empresas como o Google e a Microsoft estão também investindo pesado nesse tipo de tecnologia para ampliar a visão da marca e educar os seus usuários sobre como utilizar seus recursos de forma mais produtiva.

Em suma, desde que foi primeiramente cunhado em 2010, o termo gamificação tem ganho cada vez mais notoriedade, principalmente por grandes empresas do ramo tecnológico e educacional. Essa é uma tecnologia com aplicações reais, e com grandes ganhos para a sociedade como um todo.

 

O Método “Super Better

Uma vez que você tenha entendido que gamificação possui usos extremamente diversos na nossa sociedade, eu quero te fornecer uma maneira de você aplicar isso na sua própria vida. Para fazer isso, vamos utilizar o método recomendado pela Jane McGonigal no seu livro “Super Better”.

Como material de apoio, vamos utilizar o vídeo “4 Passos para Conquistar Vitórias Épicas”, do Erico Rocha.

 

Passo 1: Vitória Épica

O primeiro passo é a definição de quais serão as suas vitórias épicas!

As vitórias épicas correspondem a um tipo especial de meta, que comumente encontramos em jogos. Elas possuem 4 características principais:

  1. É razoável esperar que você alcançará a sua meta caso se esforce;
  2. Você usará diversos dos seus talentos e forças para alcançar seu objetivo;
  3. Você se motiva para alcançar essa meta. Apenas pensar nela já te estimula;
  4. Você mesmo escolheu realizar essa meta. Ela representa o que você mais quer.

Hoje existem mais de 50 anos de pesquisa mostrando a importância que metas possuem em nossas vidas. Por exemplo, elas são capazes de aliviar sintomas como estresse e ansiedade, nos deixar mais felizes e saudáveis, e ainda colaboram muito para termos bons resultados.

Isso acontece porque metas fortalecem 4 de nossos talentos naturais. São eles:

  • Foco: Vitórias Épicas ajudam a focar nossa atenção no que realmente queremos alcançar;
  • Descoberta: Ao tentar alcançar um objetivo, comumente descobrimos e aprimoramos uma variedade de habilidades;
  • Determinação: Vitórias Épicas nos motivam a encontrar um caminho e permanecer determinados, mesmo quando encontramos diversos obstáculos.
  • Energia: Uma boa vitória épica é capaz de te energizar, permitindo que você coloque sempre o seu melhor esforço.

Dessa forma, não perca tempo, e comece agora a definir quais serão as suas Vitórias Épicas!

 

Passo 2: Missões

No caminho para sua Vitória Épica, você precisará enfrentar algumas missões. As missões correspondem às metas diárias e semanais, que você define para estar cada dia mais perto do seu objetivo final.

Dessa forma, missões funcionam porque promovem 5 grandes benefícios. São eles:

  1. Significado e Propósito: Missões nos fornecem algo para trabalhar e focar todos os dias, mesmo quando sua grande meta parece estar muito distante;
  2. Comprometimento: Ao definir tarefas para serem feitas a cada dia, você se mantem comprometido e conectado com seus objetivos finais;
  3. Conexão Social: Nos jogos, missões são comumente realizadas em grupo, já que assim como na vida real, isso aumenta nossas chances de sucesso e nosso bem-estar ao longo do caminho;
  4. Confiança: A cada vez que completamos uma missão, nos sentimos mais confiantes e motivados;
  5. Flexibilidade: Missões permitem que sejamos flexíveis em nossa estratégia, enquanto ainda mantemos uma visão clara e focada de longo prazo.

Portanto, o próximo passo sugerido é que você comece a quebrar sua Vitória Épica em missões menores. Dessa forma, monte um plano de como, quando e onde realizará suas missões, execute seu plano, e a partir disso se mantenha flexível para alterar o que não está funcionando.

 

Passo 3: Power-ups

Em terceiro lugar, é importante definirmos nossos “power-ups”. Um power-up é simplesmente um comportamento ou pensamento que faz com que você se sinta bem. Os Power-ups não precisam estar necessariamente conectados a sua Vitória Épica, podendo ser qualquer coisa que faça você se sentir melhor.

Por exemplo, você pode procurar por filhotes do seu animal predileto na internet, como fotos de uma bebê panda, ou de um bebê coelho. Você também pode ouvir a sua música predileta, ou simplesmente se visualizar alcançando seu objetivo.

Independentemente de qual sejam os seus power-ups, é importante que você os escreva em algum documento, ou folha de papel, e que isso fique visível para você. Afinal de contas, ninguém consegue evitar os momentos baixos da vida, especialmente quando estamos no caminho de uma Vitória Épica. Alguns vilões e obstáculos vão aparecer, e você precisará enfrentá-los.

Dessa forma, o melhor caminho que você pode seguir é ter alguns power-ups na manga, que podem ser ativados em qualquer dia, e farão com que você se sinta instantaneamente melhor.

 

Passo 4: Aliados e Vilões

Como último passo, entramos na definição de aliados e vilões. Aqui, é importante ressaltar que existem duas categorias tanto de aliados como de vilões.

Em primeiro lugar, existe a categoria referente a “outras pessoas”, que podem estar tanto te ajudando nas suas missões (aliados), como podem estar barrando o seu crescimento (vilões).

Então, por exemplo, se sua família como um todo está te apoiando, então ela será um dos seus principais aliados rumo à sua Vitória Épica. Contudo, se existe alguém dentro da sua casa que te coloca para baixo dia após dia, essa pessoa precisa ser vista como um vilão, e você deve evitar ao máximo o seu criticismo.

A segunda categoria se refere aos seus próprios pensamentos. Isso mesmo! No seu dia, existem alguns pensamentos que funcionam como seus aliados, e outros pensamentos que funcionam como vilões.

Então, por exemplo, se você pensa “Isso nunca vai mudar”, ou “Eu não sou bom o bastante”, ou ainda “Isso é impossível”, então você tem claros exemplos de pensamentos vilões. Esses são pensamentos ou crenças que te limitam, e barram o seu crescimento.

Contudo, também existem pensamentos positivos, que agem como seus aliados. “Eu estou no caminho certo”, ou “Eu vou encontrar essa resposta”, ou ainda “Com o tempo, as peças vão se encaixando” são apenas alguns exemplos do que você pode falar para você mesmo, e assim se sentir um pouco melhor.

 

Considerações Finais

Quando eu paro para refletir sobre o Método “Super Better”, eu acho extremamente interessante perceber o efeito que diferentes palavras possuem sobre a visão que eu tenho dos meus objetivos.

Por exemplo, eu me sinto muito melhor quando eu chamo meus objetivos de Vitórias Épicas e não simplesmente de metas. Da mesma forma, eu me sinto muito mais motivado para executar minhas tarefas quando eu as vejo como missões.

Embora elas sejam praticamente as mesmas coisas, as palavras que eu utilizo transformam completamente o significado e o engajamento que eu tenho com os meus projetos.

E você? Qual é o efeito que essas palavras possuem na sua motivação? Não me deixe curioso, e coloque já a sua resposta no campo de comentários logo abaixo. Ficarei aguardando a sua participação!

About Leonardo Puchetti Polak

Especialista em Produtividade Pessoal, apaixonado por alta performance, tecnologia e neurociência.

Quer receber e-mails sobre como criar metas de sucesso?

Então se inscreva na lista

redirect=/confirmacao-audio-ebook/

Seu comentário me motiva a continuar escrevendo...

6 Respostas para “Gamificação: Uma Forma Divertida de Estabelecermos Nossas Metas