Engajamento no trabalho: Os 3 pilares que sustentam a motivação dos seus funcionários

Todos os anos, grandes empresas gastam milhões de dólares na tentativa de aumentar o engajamento que seus funcionários possuem no trabalho. Isso porque existem sinais de que empresas onde os funcionários se sentem mais engajados também possuem melhores índices de produtividade e satisfação dos clientes.

De acordo com pesquisa realizada pela Gallup, organizações com altos níveis de engajamento reportam ser em média 22% mais produtivas, e recebem de 25 a 65% menos reclamações de clientes.

Segundo o cientista Jim Harter, idealizador do estudo, “Funcionários engajados são mais atentos e vigilantes. Eles olham para as necessidades de seus colegas de trabalho e da empresa de modo geral, pois eles pessoalmente ‘possuem’ o resultado de seu trabalho e o de toda a organização”.

Considerando as vantagens que funcionários mais engajados possuem em comparação com seus colegas, por que então tantas empresas lutam para criar um aumento na participação e comprometimento de seus funcionários?

Nesse artigo, vamos discutir um pouco sobre os 9 diferentes arquétipos de funcionários, assim como falaremos quais são os 3 pilares que sustentam a motivação e engajamento dos mesmos. Vamos lá!

 

Como você verifica o engajamento dos seus funcionários?

De maneira geral, muitas empresas tendem a simplificar muito o processo de verificação do engajamento de seus funcionários. Por exemplo, algumas empresas utilizam apenas dados comportamentais como uma medida geral de engajamento. Vamos dar o exemplo de Pedro, que atualmente está tendo ótimos resultados de vendas com novos prospectos. Com apenas esse dado, você diria que Pedro é um funcionário engajado com seu trabalho?

Outras empresas utilizam apenas dados de satisfação pessoal, tentando entender como estão seus funcionários apenas através da avaliação de questionários. Pegue por exemplo Alice, que elogia muito seu chefe e se diz satisfeita com o trabalho. Com apenas esses dados você saberia falar se Alice está realmente engajada?

 

Os 9 Arquétipos de Funcionários

Para que se tenha uma boa visão de como seus funcionários estão engajados, precisamos levar em consideração tanto a dimensão comportamental, como a dimensão de percepção positiva do trabalho. Por esse motivo, a Harvard Business Review divulgou no início de 2016 os 9 arquétipos a serem considerados no mapeamento do engajamento de funcionários. Para utilizá-lo, basta perguntar aos seus funcionários como eles percebem suas funções, e traçar como estão atualmente se comportando durante o trabalho. Essas respostas te levarão a perceber o quão engajados seus funcionários realmente estão.

 

 

Voltando ao exemplo de Pedro, e utilizando os 9 arquétipos, ele pode estar tendo ótimos resultados, mas isso não significa que ele não esteja desgastado, sobrecarregado ou esgotado. Mesmo tendo bons resultados, Pedro pode ter uma visão negativa de seu trabalho, fazendo dele um “mártir”, que poderá facilmente deixar sua empresa caso receba uma proposta melhor de trabalho.

Da mesma forma, Alice possui uma boa visão do seu trabalho, mas isso não significa que ela esteja “vestindo a camisa” pela empresa. Talvez ela goste do seu trabalho, mas se recusa frequentemente a ajudar seus colegas, ou a fazer cursos para aperfeiçoamento e desenvolvimento do seu trabalho.

Claramente, podemos perceber como medir a apenas uma das dimensões, seja apenas a percepção, ou apenas o comportamento, pode descaracterizar seu engajamento. Por esse motivo, precisamos estar continuamente agindo para melhorar a percepção que nossos funcionários possuem de seu trabalho, e verificar se estão se comportando de acordo. Para isso, utilizamos os 3 pilares do engajamento.

 

Os 3 Pilares do Engajamento

– Autonomia

Se algum dia você já trabalhou como funcionário de uma empresa, você com certeza sabe o impacto que ter autonomia para fazer as próprias escolhas possui no seu trabalho. Não adianta, ninguém gosta de apenas receber ordens sobre como e quando deve fazer cada uma de suas tarefas. Todos gostamos de ter ao menos um pouco de autonomia para definir quais são as prioridades do nosso dia, e como utilizaremos melhor o nosso tempo.

Além disso, com autonomia conseguimos ter mais certeza sobre o quão prazeroso será nosso dia de trabalho, pois também conseguimos adicionar um pouco de variedade no nosso dia, e não apenas ficar seguindo a mesma rotina incansavelmente. Com autonomia, conseguimos utilizar muito mais do nosso potencial criativo, e inovar a maneira com que procedimentos estão sendo feitos dentro da empresa.

Eu particularmente gosto do modelo adotado pelo Gustavo Caetano, chefe executivo da Samba Tech, que oferece a todos os seus funcionários a autonomia de inovarem em procedimentos, mesmo que para isso precisem cometer erros. Gustavo encoraja que seus funcionários a procurem otimizar os processos da empresa, e oferece a todos a chance de cometerem erros durante esse processo. Os funcionários não devem repetir seus erros, mas todos possuem a autonomia de errar ao menos uma vez sempre que estão tentando inovar algum procedimento.

Portanto, se seus funcionários estão cometendo erros, isso não significa necessariamente que algo ruim está acontecendo. Talvez eles estejam apenas tentando melhorar o funcionamento da empresa. Ainda assim, assegure-se que esses erros não poderão ser repetidos, pois isso sim pode levar sua empresa a falência.

Artigo Relacionado: Gamificação: Entenda Sua Influência no Engajamento dos Colaboradores

– Crescimento

O segundo fator que impacta fortemente o engajamento de seus funcionários é relacionado ao crescimento pessoal e profissional que seus funcionários possuem dentro da empresa.

Me parece uma regra no universo que tudo que não está crescendo, então está morrendo. Se uma planta não está crescendo, então provavelmente ela está morrendo. Se uma estrela não está crescendo, então ela está morrendo. Se seu negócio não está crescendo, ele provavelmente está em direção à falência. Da mesma forma, se não estamos crescendo como indivíduos, não importa quanto dinheiro temos no banco, ou quantos amigos nós temos, pois internamente estamos morrendo.

Dessa forma, todas as vezes que seu funcionário sentir que você está investindo em seu crescimento, seja através da expansão da sua rede de contatos, ou através de cursos e palestras pagos pela empresa, ou através de promoções para bons funcionários, ele tenderá a se manter mais engajado com seu trabalho, pois sabe que seu trabalho está sendo recompensado.

 

– Contribuição

Por último, para que um funcionário se sinta engajado com seu trabalho, ele também precisa sentir que está contribuindo para algo maior dentro da empresa. Para que o funcionário se motive, ele precisa conseguir ver a importância e o impacto do seu trabalho na empresa como um todo.

Você sabe, todos nós somos direcionados por um propósito de vida. Todos nós consciente ou inconscientemente queremos deixar nossa marca no mundo. Não queremos passar despercebidos e sermos esquecidos assim que morrermos. Por esse motivo, todos temos um propósito de vida, algo que nos compele a fazer algo importante e, de alguma forma, único no mundo.

Dessa forma, existe maneira melhor de deixarmos nossa marca que contribuindo para algo maior que nós mesmos? Existe algo mais gratificante que saber que estamos impactando positivamente a vida de outras pessoas e fazendo do mundo um lugar melhor de se viver?

Não adianta, se um funcionário não sente que está contribuindo através do seu trabalho, ele terá grandes dificuldades em se sentir realizado, e consequentemente não permanecerá engajado com a missão e valores da empresa onde trabalha.

 

Considerações Finais

Compreender o que motiva seus funcionários a permanecer comprometidos com seu trabalho é o primeiro passo para criar uma equipe extremamente competente e envolvida com assuntos do trabalho. Através dos 3 pilares do engajamento, você pode criar novos padrões dentro da sua empresa, assim como alterar aqueles que não estão funcionando.

Quando você, empreendedor, foca no engajamento de seus funcionários, os resultados relacionados a produtividade dentro de sua empresa começam a aparecer, o que pode ser visto claramente pelos melhores resultados da empresa.

Agora é a sua vez de pôr em prática as ideias aqui colocadas. Quais são as atividades que você está fazendo na sua empresa atualmente para melhorar o engajamento dos funcionários? Deixe sua resposta nos comentários abaixo!

About Leonardo Puchetti Polak

Especialista em Produtividade Pessoal, apaixonado por alta performance, tecnologia e neurociência.

Quer receber e-mails sobre como ter uma equipe mais produtiva?

Então se inscreva na lista

redirect=/confirmacao-audio-ebook/

Seu comentário me motiva a continuar escrevendo...