Elevando os Padrões: Como está a Qualidade das suas Perguntas?

Todos nós sabemos que “deveríamos” fazer algumas coisas. Quantas vezes você já disse para si mesmo que deveria perder peso, ou que deveria guardar mais dinheiro? Quantas vezes já disse que deveria cuidar melhor do seu relacionamento, ou que deveria planejar melhor o uso do seu tempo?

A maior parte das pessoas possui uma lista enorme de coisa que “deveria” fazer, mas nunca faz. Essa lista reflete, por exemplo, as suas resoluções de ano novo, pois são coisas que você gostaria que acontecessem, mas que lá no fundo você não ficaria tão desapontado se não acontecessem, pois lá no fundo você meio que sabe que não vai dar certo.

Mas o que acontece quando você decide que algo é uma necessidade absoluta? O que acontece quando aquele “eu deveria” se torna um “eu devo”? O que acontece quando não sobram quaisquer desculpas ou possibilidades além de tomar uma atitude para  obter sucesso?

 

Elevando os Padrões

Quando elevamos nossos padrões, e transformamos “eu deveria” em “eu devo”, estamos retomando o controle do nosso destino, e transformando completamente nossa qualidade de vida. Dessa forma, todas as áreas da nossa vida que ainda não estão trazendo os resultados que gostaríamos, é porque ainda não elevamos nossos padrões nessa área.

Por exemplo, quando falamos de relacionamentos amorosos, algumas pessoas que hoje possuem um relacionamento, e não estão felizes com ele, possuem o padrão que “devem permanecer em um relacionamento”, e não que “devem viver uma vida com paixão, amor, alegria e entusiasmo”. Da mesma forma, algumas pessoas ainda não estão em um relacionamento, pois seu padrão é que “nunca devem se machucar”.

Se você realmente quer uma vida melhor, você precisa fazer a sua parte, e definir quais são os padrões que correspondem realmente a quem você é. Você é um vencedor, ou apenas está deixando a vida passar? Você vive em alta performance, ou se contenta com pouco?

 

Por que é tão difícil alterar padrões?  

Bom, para começar, alterar padrões não é algo difícil. Na realidade, é algo muito fácil, e você pode fazer isso nesse exato momento se decidir. Mas então qual o problema? O problema é que da mesma forma que é muito fácil alterar os seus padrões, também é muito fácil não alterá-los. Da mesma forma que é fácil mudarmos de vida, também é muito fácil não mudarmos e continuar no velho piloto automático, como de costume.

Pegue novamente o exemplo de relacionamentos. Você diria que é muito difícil falar “eu te amo” para o seu marido/esposa todas as vezes que chega em casa? Não? Mas então por que tantos casais não fazem isso? Pois é, da mesma forma que é muito fácil fazer, é também muito fácil deixar de fazer.

Você diria que é muito difícil pegar um livro e ler 2 páginas por dia? Penso que não, mas também é muito fácil não fazer isso.

Por acaso é muito difícil guardar alguns reais todos os dias? Não, mas o problema é que também é tão fácil gastá-los.

Todos nós vivemos constantemente fazendo escolhas todos os dias, e enquanto podemos escolher padrões que nos empoderam, a maioria de nós não escolhe, simplesmente porque é muito fácil deixar as coisas como estão. A ironia nisso é que, infelizmente, essas escolhas não deixam a sua vida mais fácil. Embora esse possa parecer o caminho de menor resistência, ele simplesmente não é.

 

Como elevar nossos padrões?

Pessoalmente, eu gosto muito de uma citação do coach Anthony Robbins que diz que:

Quer saber mais? Então leia   Quebrando as Amarras: Não Seja um Escravo de Suas Crenças Limitantes

“A qualidade da nossa vida é proporcional a qualidade das perguntas que nós fazemos”.

Mas o que isso significa? Bom, se você nunca parou para considerar, nosso raciocínio, ou seja, a maneira com que geralmente pensamos funciona como um diálogo, onde constantemente estamos ou fazendo uma pergunta, ou respondendo a uma pergunta internamente. A todo momento, nossa cabeça está fazendo uma pergunta, ou buscando por uma resposta a uma pergunta feita por você mesmo, ou por outra pessoa. Dessa forma, quanto melhor a qualidade das perguntas que fazemos, também melhores são as respostas que obtemos, e isso se reflete na nossa qualidade de vida.

 

Melhorando a Qualidade de Nossas Perguntas

Vamos dizer que você está tentando emagrecer. Existem diversas perguntas que você pode se fazer quando está buscando perder alguns quilinhos. Algumas perguntas são naturalmente melhores do que as outras, e, portanto, trazem melhores respostas.

Por exemplo, uma das perguntas que você poderia fazer é “Por que razão eu nunca consigo emagrecer?”. Como resposta, o normal é que você obtenha algo do tipo “Porque eu como demais”, ou “Porque eu não me controlo”, ou “Porque eu como muitos doces”. Perceba que nenhuma dessas respostas realmente te ajudam no processo de emagrecimento. Muitas vezes, até fazem o contrário, pois fazem com que você sinta ansiedade, ou até mesmo culpa por ainda não ter emagrecido.

Podemos melhorar um pouco essa pergunta falando algo do tipo “Como eu posso fazer para emagrecer?”. Como resposta, obteríamos algo do tipo, posso fazer a dieta “X”, ou a dieta “Y”, ou ainda começar a frequentar a academia, ou talvez caminhar todos os dias de manhã. Perceba que essa pergunta naturalmente nos traz respostas melhores que a anterior. Ainda assim, se você é como a maior parte das pessoas, seus sentimentos com relação a dietas e exercício físico não devem ser dos melhores, e você provavelmente não se sentirá compelido a tomar uma atitude.

Dessa forma, podemos melhorar ainda mais essa pergunta, nos questionando algo do tipo “Como eu posso fazer uma dieta, e ainda gostar desse processo?”. Nesse momento, você provavelmente percebe que não existem respostas que naturalmente aparecem na sua mente.

 

O que constitui uma boa pergunta?

Com o tempo, percebemos que essa é uma das qualidades de uma boa pergunta. Todas as vezes que nos perguntamos algo, e naturalmente não temos uma resposta, estamos quebrando um padrão antigo de raciocínio, e nos forçando a encontrar alternativas que melhor se enquadrem no que estamos procurando.

Portanto, todas as vezes que estiver tentando modificar algum comportamento seu, ou de outra pessoa, concentre-se muito mais em encontrar as perguntas certas que devem ser feitas. Boas perguntas são as verdadeiras responsáveis por mudanças de padrões e comportamentos para as mais diversas pessoas. Se você realmente quer ser um vencedor, crie o hábito de sempre perceber a quais perguntas você está respondendo, e quais seriam alternativas ainda melhores de perguntas a serem feitas.

 

Considerações Finais

Da mesma forma que nós conseguimos alterar nosso próprio comportamento mudando as perguntas internas que nós fazemos, podemos também mudar de vida respondendo a perguntas que outras pessoas nos fazem. Essa é justamente a função de um coach. Um coach basicamente trabalha melhorando a qualidade das perguntas que você se faz, pois sabe que quanto melhor as perguntas, melhor as suas respostas, e consequentemente melhor a sua qualidade de vida.

Caso tenha qualquer dúvida sobre o processo, deixe seu questionamento nos comentários, ou utilize a página de contato para ter acesso direto a um consultor. Teremos o maior prazer em lhe ajudar!

About Leonardo Puchetti Polak

Especialista em Produtividade Pessoal, apaixonado por alta performance, tecnologia e neurociência.

E-book

29 Métodos de Produtividade Pessoal: O Guia Definitivo para Escolher Já o Seu!

Faça Agora o seu Download Gratuito do Livro!

redirect=/confirmacao-audio-ebook/

Seu comentário me motiva a continuar escrevendo...