Como evitar dias pouco produtivos?

Evitar dias pouco Produtivos

Você já percebeu que existem dias em que você parece estar com seu rendimento máximo? Você consegue focar nos projetos mais importantes, planejar adequadamente seu dia, finaliza diversas tarefas que estavam pendentes, gerencia melhor seus e-mails, passa a ser mais atencioso e carinhoso com o seu companheiro(a), além de conseguir dar mais atenção aos seus filhos.

Em contrapartida, existem dias que nosso rendimento parece estar no zero. Nós começamos o dia procrastinando, não nos comunicamos direito com nossa equipe, trabalhamos sem planejamento e chegamos ao final do dia sem finalizar nem mesmo uma tarefa de grande impacto.

Por esses e outros motivos, nesse artigo vamos discutir quais são os fatores que influenciam essas diferenças, e como podemos alterá-los para alcançarmos dias mais produtivos.

Através da didática utilizada pelo meu amigo Edi Born, o qual é coach e trainer em programação neurolinguística na eXpertar, estarei explicando melhor esse assunto.

 

A diferença do ser e do estar

Como colocado acima, todos nós já tivemos bons dias e maus dias. Em essência, possuímos tudo que é necessário para sermos inteligentes, divertidos, felizes, bons empresários, bons amigos, bons parceiros.

Entretanto, uma coisa entra no caminho. Dependendo de qual estado sua mente e seu corpo se encontram, você terá maiores dificuldades para ser uma coisa ou outra.

Basicamente, são nossos estados que ditam se teremos um dia mais produtivo ou menos produtivo, e é por isso que devemos nos preocupar muito mais em mudarmos nossos estados, do que com mudarmos o que somos.

 

Os dois componentes do estar

Existem dois, apenas dois componentes que ditam em qual estado nos encontramos. Aprender a lidar com ambos esses componentes pode fazer uma grande diferença na quantidade e qualidade dos dias que você possui um bom rendimento.

 

Fisiologia

A fisiologia é o mais simples dos dois componentes, sendo, portanto, também o mais fácil de alterarmos. Como dito no vídeo, existem várias formas de alterarmos nossa fisiologia, por exemplo tomando um café mais reforçado, ou um energético.

Outra maneira de alterarmos nossa fisiologia para rendermos mais durante o dia é fazer o que chamamos de “cochilo intenso” ou “power nap.

O hábito de tirar um cochilo logo após o almoço é comum em alguns países, sendo também adotado por algumas pessoas no Brasil. Contudo, o que muitas pessoas não sabem, é que ao cochilarmos por 15-20 minutos, estamos aumentando nosso rendimento e produtividade, enquanto nos mantemos mais alertas.

Em um estudo publicado por Mitsuo Hayashi e Tadao Hori, da Universidade de Hiroshima, participantes que cochilaram por 20 minutos tiveram melhores níveis de performance, e autoconfiança quando comparados aos indivíduos controle. Da mesma forma, os indivíduos tiveram efeitos positivos sobre a manutenção de níveis de vigília.

Dessa forma, é possível utilizar os seguintes passos para tirar uma soneca no seu horário de almoço, ou até mesmo incentivar seus funcionários a cochilarem para aumentar o rendimento.

 

Representação Interna da Realidade

O outro componente que influencia nosso comportamento é a representação interna da realidade. Eu vou colocar como exemplo algo similar, mas não exatamente igual, ao que o Edi Born colocou no vídeo.

Vamos supor que hoje, quando você estava indo trabalhar, você presenciou um motorista perdendo o controle da direção enquanto vinha em sentido contrário ao seu percurso. O motorista perdeu o controle do veículo e acabou capotando, mas por sorte não machucou ninguém.

Existem três formas de você interpretar o que esse acidente simboliza no seu dia. São eles:

  1. Azar: “Esse é meu dia de azar… Se eu tivesse saído de casa 1 minuto antes eu não teria presenciado esse acidente. ”
  2. Neutro: “Acidentes acontecem todos os dias, esse não seria a exceção. ”
  3. Sorte: “Hoje é meu dia de sorte. Esse carro poderia ter vindo na minha direção após perder o controle. ”

A maneira com que seu dia segue é dependente da forma com que você enxerga o acidente. Perceba que a realidade é apenas uma: o carro perdeu o controle e acabou capotando. Entretanto, a representação interna dessa realidade pode ser vista de diversas maneiras, podendo influenciar o resto do seu dia, ou até mesmo o resto da semana.

Caso você forneça uma conotação negativa ao acontecimento, você tenderá a dar conotações negativas para outros acontecimentos no seu dia. Mas caso consiga ver o acidente com uma visão positiva, você tenderá a tomar melhores decisões pela confiança que ganha com essa crença.

 

Entendendo o estado de outras pessoas

Parte de entendermos como nossos estados nos influenciam, é também percebermos que outras pessoas são influenciadas pelos mesmos dois fatores.

Dessa forma, caso seus funcionários tenham que trabalhar em horário fora do expediente, e acabem dormindo mal a noite, é esperado que eles não consigam desenvolver suas tarefas tão bem quanto se estivessem descansados. Portanto, busque garantir que você não está sobrecarregando seus funcionários, de forma que eles consigam chegar descansados para trabalhar no dia seguinte.

Outra aplicação desses conceitos pode ser vista ao delegar tarefas. Por vezes, podemos perceber uma tarefa como fácil quando a estamos delegando. Isso ocorre pela ampla experiência que temos ao realizar essa tarefa. Entretanto, nosso funcionário não possuir a mesma experiência e, portanto, pode achá-la difícil.

Novamente, a realidade é apenas uma, mas vocês dois possuem diferentes representações dessa realidade. Faça o possível para simplificar as tarefas que estão sendo delegadas, de forma que as disparidades entre as representações internas não influenciem tanto nos resultados.

 

Estados bons vs. Estados ruins

Como discutido no vídeo, estados só podem ser considerados bons ou ruins quando avaliados no momento que estão acontecendo. De nada adianta termos um estado de bom empreendedor, enquanto estamos na praia, tentando aproveitar nossa família. Nessa condição, o estado de bom marido, ou bom pai seriam muito melhor aproveitados.

Busque identificar qual o melhor estado para cada situação. Muitas vezes, a simples reflexão de qual o melhor estado já melhorará sua convivência com as pessoas que estão a sua volta.

“Quando percebes que nada te falta, o mundo inteiro te pertence. ” – Lao Tzu

About Leonardo Puchetti Polak

Especialista em Produtividade Pessoal, apaixonado por alta performance, tecnologia e neurociência.

Quer receber e-mails sobre mudança de minset?

Então se inscreva na lista

redirect=/confirmacao-audio-ebook/

Seu comentário me motiva a continuar escrevendo...