Como Aumentar seu Foco: 5 Estratégias Cientificamente Comprovadas para Melhorar sua Concentração

Nós vivemos em uma época repleta de distrações. Você já percebeu como está cada vez mais difícil mantermos nossa concentração? Vivemos em um ambiente onde diferente clientes, telefonemas, propagandas, e-mails e funcionários requerem nossa atenção imediata. Não estamos conseguindo dar conta de tudo isso, e consequentemente não conseguimos permanecer focados naquilo que realmente importa.

A pergunta mais óbvia, portanto, se torna: Como melhorar nosso foco?

Nesse artigo, buscarei responder a essa pergunta examinando 5 grandes limitações que nosso cérebro possui, e examinaremos como podemos contornar essas limitações através de estratégias simples. Portanto, continue lendo para entender como melhorar sua capacidade de concentração, e retomar o foco!

 

1) Foco é um músculo

Em artigos anteriores, nós já discutimos que nosso cérebro é incapaz de realizar diversas tarefas ao mesmo tempo. Após anos de estudo, sabe-se hoje que o melhor que podemos fazer é alternar rapidamente entre duas tarefas, entretanto isso possui o desagradável ônus de nos deixar menos produtivos. Ao alternar entre tarefas, nosso cérebro precisa de um intervalo de tempo para começar a pensar e operar com facilidade sobre aquela tarefa, sendo um desperdício de tempo e energia.

Entretanto, o que ainda não discutimos é que essa tendência de ficar alternando entre diversas tarefas pode trazer sérios riscos a sua capacidade de atenção.

Ao estudar pessoas que comumente buscam realizar diversas tarefas ao mesmo tempo, o pesquisador Anthony Wagner concluiu que “quando essas pessoas são colocadas em situações onde existem diversas fontes de informações, provenientes do mundo externo, ou emergindo de suas memórias, elas não são capazes de filtrar o que é mais relevante para suas metas atuais”. Em outras palavras, pessoas que não conseguem focar por muito tempo em uma única tarefa perdem, ao longo do tempo, a capacidade de filtrar quais informações são relevantes nos seus projetos.

Isso também implica dizer que foco é uma habilidade que precisa ser treinada. Se você não está acostumado a focar intensivamente por 3 horas todos os dias em uma tarefa, não espere que sua cabeça consiga fazer isso naturalmente quando precisar. Da mesma forma que em uma academia, quanto melhor a qualidade do seu treino, mais forte você fica, e melhores resultados você colhe.

 

Como isso funciona na prática?

No artigo “Timeboxing: Como melhor seu desempenho adquirindo consciência do tempo”, nós conversamos sobre a “Técnica de Pomodoro”, que busca treinar nossa mente para permanecer focada por determinado período de tempo (geralmente 25 minutos) e em seguida tirar um tempo para descanso (geralmente 5 minutos).

Dessa forma, caso esteja com problemas para focar em suas tarefas, comece utilizando o intervalo padrão da técnica, e caso perceba que consegue focar por um período maior que 25 minutos, procure aumentar gradativamente esse tempo, de forma que sua cabeça se acostume a se concentrar por períodos cada vez maiores.

 

2) Limpe sua cabeça

Eu não sei se já aconteceu com você, mas provavelmente você já sentou para estudar, ou trabalhar em algum projeto, e sua cabeça não conseguiu parar de pensar sobre as outras 500 tarefas que você ainda precisa fazer.

Então você se pergunta: por que é tão difícil manter a concentração? Em seu livro Deep Work, Cal Newport refere-se a esse problema explicando o conceito de “Resíduo de Atenção”.

De acordo com Newport, “quando você troca da tarefa A para a tarefa B, sua atenção não segue imediatamente – um resíduo da sua atenção se mantém preso, pensando sobre a tarefa original”. Isso significa que todas as vezes que sabemos que precisamos fazer uma tarefa, mas não a passamos para um sistema confiável, onde possamos lembrar o que precisamos fazer, então nossa cabeça continua desperdiçando parte de sua energia mental lembrando e relembrando essa tarefa.

Dessa forma, ao invés de se perguntar “Por que é tão difícil manter a concentração?”, pergunte-se “Por que está tão difícil manter a concentração?”

 

Como isso funciona na prática?

No artigo “Getting Things Done (GTD): O Guia Completo para Organizar seus Afazeres e Retomar o Controle da sua Vida!”, eu discuti a importância de termos um sistema confiável, onde não precisamos permanecer lembrando de tudo que ainda necessitamos fazer. O meu conselho, portanto, é para que ao menos liste quais são todas as tarefas que ainda precisam ser feitas, de forma que livre espaço mental para ser utilizado na sua tarefa atual.

Caso queira dar mais um passo à frente, você também pode planejar como e quando você vai fazer cada uma dessa tarefas, de forma que sua cabeça não precise ficar repensando onde colocará cada uma dessas tarefas no seu cronograma.

 

3) Mude de ambiente

Existem diversos estudos que mostram que a maneira com que nos comportamos é amplamente influenciada pelo ambiente que estamos inseridos. Para citar apenas alguns exemplos, as pessoas possuem a tendência de agir de maneira mais calorosa quando o ambiente está quente, e de maneira mais fria quando o ambiente está frio, e tendem ser mais gentis, quando observam outra pessoa sendo gentil.

Diferentes ambientes sempre nos trazem diferentes resultados, e sabemos disso instintivamente, não é mesmo? Em qual ambiente você consegue fazer seu melhor trabalho: em uma cafeteria com diversas pessoas conversando, ou em uma sala fechada, sem barulho? Se você respondeu que consegue trabalhar melhor em uma sala fechada, é porque você provavelmente já teve boas experiências nesse tipo de ambiente e sabe o que é melhor para você. Ainda assim, essa não é a regra. Existem pessoas que preferem trabalhar em ambientes onde possam ouvir outras pessoas conversando e interagindo. Cada pessoa sabe o que é melhor para si.

 

Como isso funciona na prática?

Se você está tendo dificuldade para focar enquanto trabalha em um ambiente que comumente te traz bons resultados, talvez essa seja a hora de você experimentar algo novo, e mudar algo no seu ambiente, ou tentar trabalhar em um ambiente totalmente diferente. Novos ambientes nos trazem diferentes estímulos, que fazem com que pensemos de maneira diferente. Talvez você precise apenas dessa troca de estímulos para voltar a focar.

 

4) Pare de reagir

A todo momento, estamos decidindo onde está o nosso foco, contudo, nem sempre essa decisão ocorre conscientemente. Você já deve ter passado por alguma situação em que você senta para estudar, ou para trabalhar, e subitamente é tomado por uma vontade de checar e-mails ou as redes sociais. Sem pensar muito a respeito, você abre o navegador e redireciona completamente seu foco para essas outras tarefas.

Essa tendência de se distrair com facilidade do trabalho tem ficado cada vez mais intensa na nossa sociedade, sendo um dos temas que mais recebo perguntas aqui no blog.

 

Como isso funciona na prática?

Quando recebo perguntas relacionadas a esse tema, eu recomendo que as pessoas criem a consciência de que não precisam reagir sempre que um novo desejo ou sensação aparece na sua cabeça.  Para isso, nada melhor que se utilizar da meditação.

De acordo com um estudo publicado em 2012, na Universidade de Washington, pesquisadores concluíram que a prática da meditação fez com que os participantes do estudo desenvolvessem a capacidade de ficar mais tempo concentrados no seu trabalho e alterarem menos entre tarefas.

Isso provavelmente ocorre pela maior percepção que essas pessoas adquirem do que está passando nas suas cabeças, e ficam mais resistentes a tentações para se distrair que perpassam o seu dia a dia.

Artigo Relacionado: Meditação: O Guia Científico Para Reduzir o Estresse, Aquietar a Mente, e Ainda Ficar 10% Mais Feliz

 

5) Melhore o seu tempo de descanso

No primeiro tópico deste artigo, nós discutimos que nossa capacidade de foco funciona como um músculo, e que precisamos de prática para fazê-lo ficar mais forte, e otimizar nossos resultados. Nesse tópico, eu gostaria de discutir outra característica que nossa capacidade de foco possui, e que se assimila a um músculo: a capacidade de entrar em fadiga.

Para exemplificar, me diga como você se sente todos os dias, quando chega em casa, após um dia cheio no trabalho? Cansado, estressado e sem motivação, não é mesmo? Quais são as suas respostas a essas pistas emocionais do seu corpo? Bom, se você não continua trabalhando assim que chega em casa, são grandes as chances de você apenas comer alguma coisa, e então ligar a televisão ou ficar navegando na internet até a hora de dormir.

Entretanto, o que muitas pessoas não entendem, é que sentimentos como o cansaço são a forma do seu corpo te pedir para que reduza os estímulos que estão te afetando. Quando mais estímulos diferentes ou intensos você teve no dia, mais cansado se sentirá ao chegar em casa. Na tentativa de descansar, você liga o televisor, ou navega na internet, inconsciente da quantidade de estímulos que ambas essas ações carregam. Como consequência, você se sente ainda mais cansado, e sua cabeça apenas descansa quando você fecha os olhos e dorme.

 

Como isso funciona na prática?

Mas existe alguma outra forma para melhorar o seu descanso? Para citar apenas alguns, você pode fazer uma caminhada, ou praticar algum hobbie (tocar algum instrumento musical, jardinagem, pintura), ou ficar ouvindo uma música relaxante. Existem diversas atividades que promovem uma quantidade inferior de estímulos ao seu cérebro, melhorando assim o seu tempo de recuperação.

O mais interessante de fazer essas trocas, é que você perceberá que a prática da atividade (ouvir música, por exemplo) por apenas alguns minutos (30-45 minutos) já é capaz de regenerar grande parte da sua capacidade de foco, e fazer com que você volte a se concentrar em tarefas genuinamente importantes para você.

 

Considerações Finais

Nossa capacidade de atenção funciona como um investimento. Da mesma forma que o dinheiro, quando nossa atenção é mal aplicada, ela pode acabar rendendo poucos dividendos. Portanto, resguarde esse seu recurso valioso, e considere bem quais são as formas que você o está investindo. Considere bem quais são os ganhos que você está tendo com suas estratégias atuais, e seja flexível para testar diferentes abordagens.

Se alguma das abordagens descritas nesse artigo fez sentido para você, utilize os botões logo abaixo para compartilhá-lo nas redes sociais. Tenho certeza de que ao menos alguns amigos e colegas seus estão tendo dificuldades com foco e concentração. Nada mais justo então do que presenteá-los com essa leitura.

About Leonardo Puchetti Polak

Especialista em Produtividade Pessoal, apaixonado por alta performance, tecnologia e neurociência.

Quer receber e-mails sobre como ter mais foco?

Então se inscreva na lista

redirect=/confirmacao-audio-ebook/

Seu comentário me motiva a continuar escrevendo...

Uma Resposta para “Como Aumentar seu Foco: 5 Estratégias Cientificamente Comprovadas para Melhorar sua Concentração

  • joaovitorlara
    2 anos ago

    Ótimo!

    Desativei as notificações “push” do meu celular por causa disso, no meu caso tinha virado uma coleira eletrônica.
    Parabéns ao site pelo conteúdo que não é obvio, mas é objetivo, simples na explicação e considera que podemos ter atitudes diferentes para ter a mesma produtividade.

    Que venha mais!